3 de março de 2015

Há uns tempos recebemos


cá em casa uma carta da Segurança Social a dizer que o meu marido lhes devia cerca de 2000 euros. E não ficam por aqui: logo no segundo parágrafo ameaçavam penhorar os nossos bens, caso não pagássemos.

Apesar de sabermos que não devíamos nada a ninguém, receber uma carta assim "simpática" é muito chato. Quando o meu marido se apresentou nos serviços com os comprovativos de que não lhes devia nada, confirmaram que era realmente verdade, que ficasse descansado.
Mas, à cautela, o meu marido exigiu-lhes que fizessem essa declaração por escrito, uma vez que a declaração de que devia dinheiro também tinha vindo por escrito.
Ao fim de muito tempo e de muita insistência, chegou a tal declaração.
Agora está arrumada em lugar muito seguro, mas estamos até a pensar em alugar um cofre num banco para a guardar, não vá o diabo tecê-las.

Por isso, nesta história Passos Coelho versus Segurança Social, venha o diabo e escolha o mais gatuno...

24 de fevereiro de 2015

11 anos disto



(imagem daqui

Mais uma vez, e graças à minha infalível "agenda Flores", não deixei escapar o aniversário do meu blog.
Onze anos!
Provecta idade para um blog.
Tão velhinho, mas ainda mexe (pouco, coitado, mas mexe...)

Agora sejam queridos e dêem-me os parabéns e blablabla, essas mariquices todas do costume.
Para ver se o pobre não morre de vez...

18 de fevereiro de 2015

Que saco!

Os sacos "leves" parece que são altamente poluidores, anti-ecológicos e maus para o meio ambiente.
Nem duvido, basta ver como é difícil e demorado o plástico desaparecer na natureza.

A minha dúvida é: e se eu pagar 10 cêntimos de imposto pelo saco, ele passa a ser inócuo para a natureza?

Não seria melhor acabar com eles, e pronto, assunto resolvido?
Hipócritas!


3 de fevereiro de 2015

O país dos números

Vivemos no país dos números.

Nas escolas então atingiu-se um nível nunca visto em matéria de números. Tudo se resume a números, gráficos e percentagens.
Como se as aprendizagens das crianças destas idades pudessem ser expressas em números!
As avaliações das crianças, que eram apenas qualitativas, caminham a passos largos para serem quantitativas (os alunos do 4.º ano já são avaliados de 1 a 5 valores).

Até as crianças que nos chegam das pré-escolas já vêm avaliadas com percentagens disto e daquilo!

Ando a ler aos meus alunos "O principezinho" (estilo novela, 1 ou 2 episódios capítulos por dia)
Por isso dedico ao ministro da educação (que adora números) uma frase que lhes li hoje:

"As pessoas crescidas gostam de números. Quando lhes falais de um novo amigo nunca perguntam o essencial. Nunca vos dizem «como é a fala dele? Quais os seus jogos prediletos? Coleciona borboletas?» Perguntam «Que idade tem? Quantos irmãos são? Quanto pesa? Quanto é que o pai ganha?» E só julgam que o conhecem depois disto. Se disserdes às pessoas crescidas : «Vi uma casa de tijolos vermelhos, com gerânios nas janelas e pombas no telhado...» elas não conseguem imaginar uma casa. É preciso dizer-lhes: «Vi uma casa de quinhentos contos.» Então exclamam: «Ai que bonita!»

Andamos todos crescidos de mais, é o que é.

18 de janeiro de 2015

Uma fotografia por domingo (328)


Aquilino Ribeiro (que roubou de mim a Salta Pocinhas!), homenageado com esta escultura, na bonita cidade de Viseu.

15 de janeiro de 2015

Não moro em Lisboa,


nem lá perto e até tenho um carro "quase" novo, portanto a nova medida da Câmara de Lisboa não me afeta mesmo nada.
Apesar disso, acho um abuso e uma hipocrisia a proibição de os carros velhos não poderem circular em certas zonas da cidade.
Não acredito que alguém tenha um carro velho voluntariamente. Se têm um carro velho é porque não há dinheiro para um novo, ficando essas pessoas duplamente injustiçadas.

É também uma hipocrisia, porque os problemas de poluição não se resolvem assim, resolvem-se com transportes públicos em condições.
Mas para isso era preciso governar a sério e isso dá muito mais trabalho, ...

11 de janeiro de 2015

Uma fotografia por domingo (327)


É um pássaro?
 Não...
É um avião?
Não...
É o Super-Homem?
Não...

São cavacas voadoras!


8 de janeiro de 2015

Eu sei

que não podemos meter os muçulmanos "todos no mesmo saco" até porque aquele senhor português muçulmano é bem simpático e querido.
Mas, o que é facto, é que não vemos países muçulmanos a reagirem veementemente contra atentados terroristas.

Eu sei que temos de respeitar todas as religiões e blá-blá-blá, mas custa-me imenso respeitar gente que não respeita ninguém.

Eu lembro-me que o último presidente francês foi muito criticado quando proibiu as muçulmanas francesas de usarem a cara tapada, nomeadamente nas escolas. E criticado pelos franceses não muçulmanos! E lembro-me de ter havido manifestações de muçulmanas contra estas medidas...
Já agora, alguém se lembra de alguma vez ter visto uma manifestação de mulheres muçulmanas num país muçulmano?
Mesmo num país daqueles "bonzinho-amigo-dos-americanos" como a Arábia, ou o Dubai, ou o Kuwait?

E também me lembro de, na mesma França, terem tirado os crucifixos das escolas não pelo motivo correto (porque é uma escola, não é uma igreja), mas porque "feria a sensibilidade" dos muçulmanos?

Para a maioria das pessoas, muçulmano é sinónimo de terrorista e os muçulmanos não terroristas não fazem nada para desfazer essa ideia.
Porque será?

15 de dezembro de 2014

Rapidinha de segunda

Um sujeito foi ao médico de família, com o testículo esquerdo inchado e dormente.
O médico disse que era uma inflamação testicular, que não era nada grave etc., mas que procurasse um especialista.
E deu-lhe o telefone de um colega UROLOGISTA, mas, na hora, enganou-se no número e deu o do seu ADVOGADO.

O tipo marcou uma consulta, e à hora marcada lá estava ele diante do advogado, mas achando que era o médico:
- Em que posso ajudar?
O nosso amigo baixou as calças e mostrou:
- Como o senhor está a ver, doutor, estou com uma inflamação no testículo esquerdo.

O advogado ficou a olhar para a cena sem entender absolutamente nada e disse:
- Meu amigo, a minha especialidade é o Direito!...
Diz o sujeito:
- Porra.. !!! Agora cada tomate tem o seu especialista ???

14 de dezembro de 2014

Uma fotografia por domingo (324)


Mais uns dias e terei cá em casa o milagre das rosas.
Por enquanto o rei só poderá responder:
"Rosas em dezembro?"